top of page

Produção de isomaltulose a partir de sacarose obtida na indústria sucroenergética usando leveduras

A CERLEV oferece ao mercado sucroenergético uma cepa de levedura capaz de converter sacarose em isomatulose com um rendimento em torno de 75%, e com co-geração de trehalulose. A isomaltulose, também conhecida comercialmente no Brasil como palatinose ou lylose, é considerado um substituto da sacarose. Este carboidrato tem sabor adocicado suave, apresentando cerca de 50% da doçura da sacarose, apresentando propriedades físico-químicas e sensoriais muito similares, podendo assim ser usada em alimentos. A isomaltulose possui baixo potencial cariogênico, sendo utilizada comercialmente como ingrediente e substituinte da sacarose na produção de gomas de mascar, iogurtes, doces e bebidas. Apresenta também baixa velocidade de hidrólise e formação de monossacarídeos no organismo, sendo recomendada para aplicação em alimentos e bebidas destinados a diabéticos e esportistas. O crescimento da procura por isomaltulose decorre da crescente preocupação com a saúde e bem-estar impulsionando a demanda por alternativas de adoçantes naturais e com menor impacto nos níveis de glicose no sangue.

 

Por sua vez a trealulose é um açúcar valioso que ainda não é comercializado neste momento para adição em alimentos, mas é extremamente solúvel em água e pode, portanto, ser facilmente separada durante a cristalização da isomaltulose.

 

A conversão de sacarose em isomaltulose por via microbiana tem atraído grande interesse comercial, pois a síntese química é cara e muito difícil. A isomaltulose [a-D-glicopiranosil-(1,6)-ß-D-frutofuranose] é obtida através da conversão enzimática da sacarose [1-O-(ß-D-frutofuranosil)-a-D-glicopiranose], pela a-glicosiltransferase, também conhecida como sacarose isomerase e isomaltulose sintase (EC 5.4.99.11), na qual a ligação 1,2-glicosídica entre a glicose e a frutose é rearranjada para ligação 1,6-glicosídica (Figura  abaixo).



A produção mundial de isomaltulose está estimada em 60.000 t/ano, tendo entre os principais fornecedores as empresas Mitsubishi Chemical e Cargill. Entre os maiores compradores globais destacam-se indústrias dos ramos de alimentos, suplementos nutricionais e energéticos. Neste contexto, destacam-se empresa como a farmacêutica Aché, as empresas de alimentos Ajinomoto, Unilever, Parmalat, BRF e CocaCola. O mercado global de substitutos do açúcar foi avaliado em US$ 16,5 bilhões em 2021, com perspectiva para que em 2027 alcance em 21,6 bilhões.

 

O valor de mercado no Brasil varia de acordo com a demanda e oferta do produto, além de outros fatores, como a região onde é vendido e a sua aplicação. Por exemplo, o valor do kg da isomaltulose vendida pela CARGILL©️ gira em torno de R$22,00/kg ou cerca de US$4,50 no câmbio atual. No entanto, o preço do kg de palatinose vendido por indústrias farmacêuticas e alimentícias como produto final ao consumidor pode variar de 90,00 a R$250,00!

 

A CERLEV em parceria com a empresa belga NovelYeast tem disponível uma levedura que apresenta na sua superfície a enzima glicosiltransferase imobilizada. Essa levedura é incapaz de utilizar sacarose como fonte de energia podendo assim ser usada como catalisador biológico da conversão. Nossos ensaios laboratoriais concluíram que uma solução contendo 40% de sacarose tem a conversão concretizada em cerca de 2 horas com rendimento em torno de 75%. Considerando que as empresas do setor sucroenergético tem a matéria prima em abundância, esta seria talvez uma alternativa de diversificação no portifólio de seus produtos, agregando mais valor e rentabilidade.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page